Testes rápidos

Teste de droga em urina

Os nossos testes rápidos nal von minden Drug-Screen® mostram qualitativamente, mediante a técnica cromatográfica, a presença de droga e dos seus metabólitos em amostras de urina.

Seguindo alguns passos simples, o resultado pode ser interpretado em poucos minutos. Estes testes são utilizados para diversas aplicações, tais como em tratamentos de substituição ou desintoxicação, por hospitais/urgências, pela polícia, em prisões e na área da saúde.

Selecione entre a nossa ampla gama de testes de droga em amostras de urina:

Teste de droga em superfícies

Os testes de droga em superfícies nal von minden podem ser utilizados para análise de substâncias desconhecidas no local ou no laboratório. Os testes são de confiança, simples de utilizar e fornecem resultados no local, em poucos minutos.

Os testes podem ser utilizados para a identificação de sólidos desconhecidos como pó, comprimidos, líquidos, resinas, etc. A nal von minden também fornece kits rápidos para testes de superfície, incluindo toalhetes de cocaína e sprays. Os testes são ideais para alfândegas, forças policiais e aeroportos, entre outras entidades.

Os testes em sólidos são baseados numa reação química húmida, utilizando o reagente Marquis. Os testes são fáceis de utilizar. Quando o reagente entra em contacto com a substância suspeita, os granulados de reagente presentes no teste sofrem uma alteração de cor. Deste modo, a substância pode ser identificada.

Teste de droga em saliva

Os testes de droga em saliva são testes de controlo, com uma enorme precisão e fiabilidade. Estes são uma alternativa aos testes em urina. O teste em saliva é mais confortável para o paciente, menos invasivo, não sendo necessárias instalações específicas para a realização do teste. Para além disso, estes testes são mais difíceis de adulterar.

Os testes de droga em saliva da nal von minden são de enorme precisão e fiabilidade. Os testes são baseados na mais recente tecnologia imunológica de deteção. Os testes de droga em saliva são aprovados pelas forças policiais e alfândegas, por médicos e clínicas especializadas por toda a Europa.

Rapid Slide Scanner RSS & Workstation (incluindo PC) RSS-WS

O Rapid Slide Scanner (RSS) é a ferramenta perfeita para interpretar e documentar os resultados dos testes. O RSS interpreta quaisquer resultados de testes, criando impressões dos mesmos resultados. Inclui o logótipo da empresa cliente e origina um sistema de arquivo de todo o histórico de resultados do paciente. O dispositivo fornece um sistema de resultados altamente organizado. O RSS é o produto de uma série de evoluções e melhorias tecnológicas de sucesso, garantindo que receberá a melhor tecnologia de mercado.

Com a incrível abrangência do dispositivo, a margem de erro durante a leitura é mínima ou inexistente. O dispositivo impõe novos padrões de higiene e impede a penetração de líquidos (contaminação) no aparelho.

Teste de drogas em sangue

O primeiro teste para detecção de droga em sangue. O teste apresenta resultados imediatos mediante uma intoxicação aguda. Esta prova é um instrumento particularmente valioso em pacientes inconscientes e uma ajuda para medicina de urgência. 

As bactérias estreptococo beta-hemolíticas do grupo A são responsáveis por várias doenças. São muitas vezes a causa principal de infeções nas vias respiratórias superiores, tais como faringite (inflamação da garganta) e amigdalite. Um quadro clínico típico da infeção por estreptococo A é escarlatina, mas esta também pode ser um sintoma de sinusite ou otite (inflamação no ouvido). As inflamações por estreptococo, com Streptococcs pyogenes, ocorrem frequentemente em crianças entre os 5 e os 15 anos. A  S. pyogenes é altamente contagiosa e a sua transmissão acontece tipicamente através de contacto com gotículas de saliva ou secreção nasal. Devido aos sintomas clínicos não específicos, que podem indicar várias doenças, como a constipação, o diagnóstico de estreptococo A deve ser realizado através de métodos adequados para distinguir esta doença de outras infeções virais.

A influenza, normalmente conhecida como gripe, é uma infeção viral aguda altamente contagiosa do sistema respiratório. Esta doença é causada pelos vírus RNA de cadeia simples, conhecidos como vírus da gripe ou ortomixovírus. Existem três tipos de vírus da gripe: A, B e C. Os vírus tipo A são os mais difundidos e causam algumas das mais graves epidemias de gripe. A transmissão do vírus pode ocorrer através do contacto direto com secreção nasal ou expeturação de um indivíduo infetado, ou através de infeção cutânea.

O vírus A/H1N1 em 2009: No ano 2009, teve lugar um enorme surto do vírus da gripe, causado por uma nova estirpe do subtipo A / H1N1. A infeção propagou-se a nível mundial e foi referenciada como a "Pandemia H1N1 2009", à qual foram atribuídas as designações "gripe suína" ou "nova gripe".

PCR (Proteína C-Reactiva)

A proteína C-reactiva (PCR) é um indicador inflamatório não específico. É uma proteína de fase aguda, cuja concentração no sangue aumenta com inflamações infeciosas, bem como com inflamações não infeciosas, que é mais rápida e clara que outros indicadores (por exemplo, febre, aumento de leucócitos). A confirmação de elevados níveis de PCR ( > 50 mg/l bzw. > 100 mg/l) é um indicador importante para inflamação aguda ou crónica, e para doenças imunes e auto-imunes complexas, como a necrose do tecido ou tumores malignos.

A hepatite A é uma doença do fígado causada pelo vírus da hepatite A. O nível de glóbulos brancos aumenta no fígado. A infeção pode ser causada por uma higiene inadequada, por isso recomenda-se a vacinação antes de viajar para países do terceiro mundo.   

A hepatite B é uma doença grave, sendo o fígado afetado por este vírus. O vírus da hepatite B (VHB) pode ser uma infeção crónica, levando a casos de cirrose hepática, cancro no fígado, falha do fígado e mesmo à morte. A hepatite B é uma doença comum, existente em todo o mundo, que afeta a vida de milhões de pessoas. As consequências patológicas graves de uma infeção crónica por VHB incluem o desenvolvimento de insuficiência hepática crónica, cirrose hepática e carcinoma hepatocelular (CHC). A hepatite B é transmitida através da troca de fluídos corporais e do contacto com sangue infetado. As concentrações mais elevadas do vírus da hepatite B podem ser encontradas na saliva, na bílis e em leite materno.

O vírus da hepatite C (VHC) é uma das maiores causas de doenças crónicas no fígado, que regularmente se desenvolve em cirrose e também representa um aumento do risco de carcinoma em células do fígado. Em contraste com o VHA, o VHB assim como o VHC podem levar a uma progressão crónica da doença. Na maioria dos casos, a hepatite C é uma doença crónica grave. Devido à falta de propilaxe VHC passiva após, por exemplo, injeções, é importante a deteção rápida da presença de VHC.

Nesta área, disponibilizamos os seguintes testes rápidos:

O vírus da imunodeficiência humana (VIH) pertence à família dos retrovírus e ao género dos lentivírus. É responsável pelo enfraquecimento do sistema imunitário humano. Uma infeção pode ter diferentes durações em diferentes pacientes, em média o período de incubação é de vários anos e, posteriormente, leva à contração do vírus da SIDA (Síndrome de imuno-deficiência adquirida), sendo esta actualmente uma doença incurável do sistema imunitário humano.   

O vírus propaga-se através de relações sexuais desprotegidas ou de contacto sanguíneo. Para prevenir uma futura propagação do vírus e iniciar uma terapia adequada atempadamente, o teste rápido de diagnóstico desta infeção é muito importante.

Neste campo de diagnóstico, disponibilizamos os seguintes testes rápidos:

A mononucleose infeciosa (MI), também conhecida como "doença do beijo" é uma doença infeciosa causada pelo vírus Epstein-Barr (EBV). As infeções por EBV surgem através das membranas mucosas (boca, nariz, garganta) e dos linfócitos B. O patogénio é transmitido através de partículas, contacto ou infeções cutâneas, assim como pela tosse, espirros e saliva.

As doenças diarréicas são das doenças mais difundidas em todo o mundo, podendo estas ser originadas pelo rotavírus humano (família Retroviridae) e pelo adenovírus humano (família Adenoviridae). Em particular, as gastroentrites por rotavírus e as gastroentrites pediátricas por rotavírus (GPR) são doenças diarréicas, particularmente perigosas para os lactentes e para as crianças pequenas, constituindo uma infeção particularmente perigosa. Os adenovírus estão associados a uma ampla gama de quadros clínicos. As gastroentrites associadas a gripe intestinal, vómitos e diarreia, bem como as gastroentrites estomacais e com inflamação intestinal, serão desencadeadas, especialmente nas crianças, pelos sorotipos 40 e 41 do adenovírus. Com ambos os tipos de vírus, a transmissão da doença ocorre frequentemente por via fecal-oral, através de uma infecção cutânea.

O vírus sincicial respiratório (VSR) humano pertence à família Paramyxoviridae. É a maior causa de complicações no sistema respiratório em todas as faixas etárias. Na área de pediatria, especialmente com crianças menores de 4 anos, é a causa mais comum de infeções graves no sistema respiratório (por exemplo, bronquite, tosse, otite). Normalmente, os adultos apresentam sintomas leves, mas com pessoas idosas e indivíduos com um sistema imunológico debilitado, o RSV pode progredir para uma fase grave com elevadas taxas de mortalidade. A transmissão pode ocorrer através de partículas infetadas ou de membranas mucosas da boca, nariz e olhos.

O tétano é uma doença infecciosa, e frequentemente mortal, causada por tetanospasim, uma neurotoxina produzida pela bactéria Clostridium tetani. O patogénio, altamente tóxico, afecta o sistema nervoso central. No corpo, a bactéria multiplica-se e produz tetanospasim e tetanolysin, tóxico para os nervos. O tétano afecta o músculo esquelético e pode levar a espasmos musculares por todo o corpo. O Clostridium tetani é encontrado no solo, por exemplo em poeira da estrada, e pode entrar no corpo através de qualquer ferida ou mesmo de arranhões.

A tuberculose (TBC) é uma infecção causada principalmente pela Mycobacterium Tuberculosis. Outros patogénios, como M. bovis, M. africanum e M. microti, são também encontrados esporadicamente em doenças tuberculosas. Na maior parte dos casos, os pulmões são principalmente afectados, podendo outros orgãos também ser infectados. A tuberculose é habitualmente transmitida pela inalação de partículas infecciosas. Os patogénios podem muitas vezes ser detectados na expecturação do paciente.

O factor reumatóide é um auto-anticorpo, um anticorpo contra o tecido e imunologia do próprio organismo. O sistema imunitário do paciente, por engano, acumula anticorpos contra substâncias endógenas. Quando os níveis de factor reumatóide são muito elevados, pode ser um sinal de presença de artrite reumatóide, lúpus eritematoso sistémico, bem como de outras doenças.

A hormona tirotropina é uma glicoproteína produzida nas células basofílicas da glândula pituitária anterior. Esta estimula o crescimento, a captação de iodo e a produção da hormona de tiróide. A detecção de TSH serve como ferramenta para o diagnóstico de disfunções da tiróide ou da glândula pituitária. Os níveis de TSH são analisados em pacientes sob suspeita da presença de hipertiroidismo ou hipotiroidismo. O aumento dos níveis de TSH geralmente indica uma hipoactividade da tiróide, enquanto os baixos níveis de TSH são um indicador de hipertiroidismo. Excepcionalmente, os níveis elevados de TSH podem também indicar uma disfunção da glândula pituitária, tais como a produção de tumor por TSH. Esta pode ser denominada por hipertiroidismo secundário.

Doenças tropicais e Parasitologia

Para as seguintes áreas, oferecemos os seguintes testes rápidos NADAL®:

Bacteriologia

Para as seguintes áreas, oferecemos os nossos testes rápidos NADAL®:

A gonadotrofina coriónica humana (hCG) é uma hormona que aumenta rapidamente a sua concentração pouco depois da libertação de um óvulo fecundado no corpo de uma mulher. Como resultado, a hCG é um indicador muito útil para a detecção de uma possível gravidez. Nós oferecemos uma variedade de testes de gravidez, que podem detectar os níveis desta hormona 7 dias após a concepção, fornecendo resultados rápidos e fiáveis.

A determinação exacta do período de ovulação da mulher é vantajosa para a realização do desejo desta de ser mãe. A hormona luteinizante humana (hLH) é uma hormona sexual, que é conjuntamente responsável pela ovulação no corpo da mulher. Antes da ovulação, a concentração de hLH aumenta significativamente, tornando-a desta forma um indicador ideal para a determinação dos dias mais férteis do ciclo da mulher. A ovulação é a libertação de um óvulo do ovário.

O teste NADAl de ovulação é um sistema completo, que fornece indicação clara da altura em que a ovulação irá ocorrer, bem como da altura em que há maior hipótese do óvulo fecundar. Durante o período fértil, é mais provável a mulher engravidar.

Para esta área, oferecemos os seguintes testes rápidos:

A alfa-fetoproteína (AFP) é uma glicoproteína presente em soro ou plasma humano. É produzida durante a gravidez pelo saco amniótico e pelo fígado fetal. Para além disso, também é produzida nas células tumorais do fígado. A elevada concentração de AFP serve como indicador tumoral para vários cancros, como por exemplo o carcinoma hepatocelular (HCC).

Nesta área, oferecemos os seguintes testes rápidos:

Urianálise

Produtos para análise de urina. Tiras para urina e leitores para a evolução dos testes rápidos de tiras de urina.

Doenças sexualmente transmissíveis (DST)

As doenças sexualmente transmissíveis (DST) são propagadas através de relações sexuais sem protecção. Incluem-se neste grupo doenças como sífilis, clamídia, gonorreia, hepatite e VIH. Com a detecção atempada e o tratamento adequado, a sífilis, a clamídia e a gonorreia podem ser curadas em pouco tempo. Os primeiros sinais de uma doença sexualmente transmissível podem ser para as mulheres comichão na área genital e para ambos os sexos dor ao urinar. Aquando da suspeita de infecção por um patogénio, é importante ir imediatamente ao médico para que o diagnóstico precoce possa ajudar a prevenir a doença. Caso suspeite de infecção num paciente, deve informar o seu parceiro sexual para que este também seja examinado para evitar a infecção de outros indivíduos.

Nesta área, oferecemos os seguintes testes rápidos:

 

Beta-hemolytic group B streptococci (Streptococcus agalacticae) are responsible for a number of diseases and are amongst the most common infections with life-threatening risks to newborns. They are often the main cause of wound infections, sepsis, meningitis, urinary tract infections and neonatal sepsis.

 

Menopause is the permanent end of menstruation. In general, the menopause is not diagnosed scientifically until a woman's period has not occured for a whole year. As the body produces less estrogen, the production of FSH that normally regulates the development of the female egg increases. Testing for FSH can therefore help to determine whether a woman is in the perimenopause stage.

As tiras Reactif urianálisis oferecem resultados rápidos e fiáveis necessários para diagnóstico específico. Os produtos nal von minden oferecem a melhor qualidade e a possibilidade de um diagnóstico a baixo custo. A linha de testes Reactif é bastante resistente à vitamina C e tem influência adicional no parâmetro 'ácido ascórbico'.

Aqui encontram-se todos os testes de urina para análise rápida. Escolha o seu teste de análise de urina baseado nos parâmetros que requer. 

Aqui pode encontrar os leitores que oferecemos para avaliação mecânica dos nossos testes em urina.

Os compostos seguintes podem ser analisados semi-quantitativamente: glicose, bilirrubina, cetona, gravidade específica, sangue, pH, proteína, urobilinogénio, leucócitos, ácido ascórbico e a determinação qualitativa de nitrito.

A troponina é uma proteína do músculo cardíaco que se liberta na corrente sanguínea, após a ocorrência de danos no coração. Esta proteína aparece 4 a 6 horas depois do início do enfarte e é detectável no sangue até 7 dias. Pela sua natureza, a troponina I é uma proteína específica do músculo cardíaco e é um dos indicadores mais adequados para detecção de isquemia miocárdica e enfarte do miocárdio.

A mioglobina é uma proteína encontrada principalmente nos músculos cardíaco e esquelético. A sua função biológica é o transporte de oxigénio dentro da célula para mitocôndria. Quando ocorrem danos no músculo, a mioglobina entra na corrente sanguínea. Em caso de ataque cardíaco, a mioglobina irá aumentar após 1-2 horas. Este é o primeiro indicador de enfarte do miocárdio. Após 4-6 horas, atinge os seus níveis máximos. Depois de decorrem entre 12-24 horas, os níveis voltarão aos limites normais.

A creatina quinase MB (CK-MB) é uma proteína libertada na corrente sanguínea, após a ocorrência de danos no músculo cardíaco. A CK-MB tem um peso molecular de 87.0 kDa. A creatina quinase é um dímero que consiste em 2 subunidades, "M" e "B". Existem três tipos diferentes de isoformas, CK-MM, CK-BB e CK-MB. A CK-MB é a isoenzima da creatina quinase, que está maioritariamente incluída no metabolismo do tecido muscular cardíaco. A libertação de CK-MB na corrente sanguínea pode indicar a ocorrência de enfarte do miocárdio (EM), os sintomas aparecem entre 3-8 horas após o início do enfarte. O valor máximo é atingido entre 9-30 horas e volta à actividade normal dentro de 48 a 72 horas. A proteína CK-MB é um dos indicadores cardíacos mais importante e é amplamente reconhecida como indicador habitual para diagnóstico de enfarte do miocárdio.

O teste NADAL CK-MB detecta a proteína CK-MB em sangue, soro ou plasma. O limite de detecção é 5 ng/mL.

O D-Dimer é um produto de degradação de fibrina, um pequeno fragmento de proteína que está presente após a remoção de um coágulo de sangue, utilizando fibrinolíticos. Durante a coagulação, o fibrogénio é metabolizado pela activação de trombina em fibrina. A fibrina é composta por unidades D e E. A concentração de D-Dimer determina-se através da análise de sangue. Desde a sua introdução nos anos 90, a análise de D-dimer em sangue tornou-se um teste importante para pacientes sob suspeita de trombose. Enquanto a obtenção de um resultado negativo exclui virtualmente a trombose, a obtenção de um resultado positivo mostra indícios de trombose, mas não exclui outras doenças possíveis. A sua principal utilização é, portanto, a exclusão da tromboembolia. O teste D-Dimer pode ajudar no diagnóstico de pacientes com suspeitas de coagulação intravascular disseminada (CID).

A proteína c-reactiva (PCR) é uma proteína não específica, utilizada adicionalmente ao diagnóstico de infecções bacteriais e de distúrbios inflamatórios, bem como no caso de febre reumática aguda e de artrite reumatóide. Este teste também é bastante útil para a avaliação de riscos de doenças cardíacas. A determinação de modelos PCR pode ser útil para a avaliação do risco cardiovascular, de ataques cardíacos ou acidentes vasculares cerebrais em pessoas saudáveis.

Depois do cancro da próstata, o cancro da bexiga é o segundo tumor urológico mais comum e um dos mais caros, devido ao tratamento ao qual o paciente tem de se submeter e à duração da doença.

A taxa de cura de cancro de bexiga, em média, é mais de 50%. No entanto, tem uma taxa de recaída de 70%, tornando-se necessário o acompanhamento do paciente para detecção atempada.

As hipóteses de recuperação são elevadas, dependendo de quando é efectuado o diagnóstico. Quando detectado atempadamente, a bexiga pode ser salva. Mas em cerca de 30% dos pacientes aos quais é realizado o diagnóstico inicial, o tumor já se encontra na camada muscular da bexiga. O rastreio regular é crucial para detectar atempadamente o cancro de bexiga.

Para esta área, oferecemos os seguintes testes rápidos:  

O sangue oculto, ou não visível em fezes (FOB, sangue oculto em fezes), pode indicar várias doenças (por exemplo, pólipos, fissuras, diverticulite). Os carcinomas colorectais são um problema particularmente grave que frequentemente leva a sangue oculto, sendo estes também responsáveis por mais de 95% de tumores malignos no cólon.

Mediante a detecção atempada de sangue oculto (hemoglobina humana) em fezes, é possível diagnosticar doenças do cólon em fases iniciais. Isto leva a um tratamento atempado, que é crucial especialmente para triagem de cancro colorectal.

Através do rastreio preventivo para sangue oculto em fezes, as hipóteses de recuperação aumentam significativamente. Os indivíduos que se encontram entre as seguintes categorias devem realizar rastreios preventivos: pacientes idosos (mais de 50 anos), indivíduos com historial familiar de cancro do cólon, consumidores de álcool, fumadores, indivíduos obesos e não praticam exercício físico.

Nesta área, oferecemos os seguintes testes rápidos:

A fetoproteína alfa (AFP) é uma glicoproteína que se apresenta no soro ou plasma humano. É produzida durante a gravidez pelo saco amniótico e pelo fígado fecal. Também é produzida no interior de células tumorais do fígado. A observação de um nível de concentração elevado de AFP é indicador tumoral para vários cancros, tais como o carcinoma hepatocelular (HCC).

Para esta área, oferecemos os seguintes testes rápidos:

O antigénio carcino-embrionário (CEA) é uma glicoproteína que actua como um indicador para vários cancros (cancro do cólon, cancro do pâncreas, cancro da mama, adenocarcinoma pulmonar). O CEA é produzido, na maioria dos casos, em células de cancro do cólon e entra na corrente sanguínea. Considerando que é, no entanto, produzido por outras doenças do corpo, ou mesmo com doenças benignas de outros órgãos, pode ser detectado um valor de CEA elevado, que não está directamente relacionado com o cancro do cólon. O seu uso é limitado como indicador precoce de CEA, considerando que este é de grande importância nos cuidados pós-tumorais.

A helicobacter pylori (h.pylori) é uma bactéria em forma de haste, que se estabelece no estômago humano. Esta bactéria é responsável por várias doenças gástricas, incluindo gastrite tipo B, úlsera gástrica e úlceras duodenais. Perante uma infecção crónica por h.pylori, o paciente encontra-se também em maior risco de desenvolver cancro gástrico.

Devido à detecção atempada de sangue oculto (hemoglobina humana) numa amostra de fezes, é possível diagnosticar a doença do cólon na sua fase inicial. Isto permite o diagnóstico atempado, que é crucial para prevenção do cancro do intestino.   

Através de rastreio preventivo para sangue oculto nas fezes, as hipóteses de recuperação aumentam significativamente. As pessoas com os seguintes factores de risco devem tomar activamente medidas preventivas e realizar rastreios regulares para a doença: pacientes mais velhos (a partir dos 50 anos), com historial de cancro da bexiga na família, com dieta composta por carne e gorduras, que consumam álcool, fumadores, indivíduos obesos e sedentários.

Para esta área, oferecemos os seguintes testes rápidos:

Roche Reflotron®

Os sistemas Reflotron® da Roche são dispositivos de análise fiáveis e de fácil utilização. Permitem a determinação de 17 parâmetros clínicos químicos directamente de uma amostra de sangue, plasma ou soro humano.

O sistema Reflotron® fornece resultados rápidos (2-3 minutos / parâmetro), que são comparáveis aos resultados de laboratório. Através de um período curto de ensaio no local, o paciente pode esperar pelos resultados durante a consulta e pode começar o tratamento necessário imediatamente.

Oferecemos os seguintes produtos Roche Reflotron®: 

    Encontram-se disponíveis 17 parâmetros clínicos químicos de teste Reflotron®.

    Com estes parâmetros, as áreas indicadoras de maior importância são abrangidas pelo tratamento inicial de problemas de saúde, tais como diabetes, distúrbios do metabolismo lipídico, alterações de metabolismo, doença renal, enfarte do miocárdio, anemia, disfunção do fígado, pancreatite, distúrbios inflamatórios e auto-imunes, transtornos de gota e nos ossos.

    Oferecemos os seguintes dispositivos de análise da Roche Reflotron®: 

    Oferecemos os seguintes componentes para o cuidado e controlo de qualidade do sistema Reflotron® da Roche: 

    Im Rahmen von jeglichen operativen Eingriffen ist eine schnelle, einfache und zuverlässige Bestimmung der Blutgruppe des Patienten notwendig. Unsere Bedside-Karten für die schnelle Blutgruppenbestimmung haben 4 bzw. 6 Vertiefungen und sind in der Mitte teilbar, so dass eine getrennte Testung von Patient und Konserve möglich ist.

    Die Vertiefungen sind die mit Klarsichtfolie verschlossenen Reaktionskammern, in denen sich jeweils 70 μl Antiserum befinden (blau = monoklonales Anti -A-Serum (BIRMA-1), gelb = monoklonales Anti -B-Serum (LB-2), farblos = monoklonales Anti -D-Serum (RUM-1)).

    Einfache Dokumentation: Beim Etikett auf den Karten handelt es sich um ein Durchschreibeetikett - einfach abziehen und z. B. auf das Transfusionsprotokoll aufkleben.